Birdwatching
bebes.comes 29/11/2015

Tyto Alba / Vinhas Protegidas

Tinto Tejo 2012
14% Vol.

“I always feel like somebody’s watching me.
And I have no privacy.
Woh, I always feel like somebody’s watching me.
Who’s playing tricks on me?”

Rockwell – Somebody’s Watching Me

Sentimos os olhos postos em nós e no que vamos fazer a seguir… ou até no que não fazemos. Mas não sentimos essa pressão. O que fazemos é com muita paixão, e tem acima de tudo de fazer sentido para nós. De resto, estamos aqui de passagem, e não nos devemos levar muito a sério… Só a natureza está para ficar. E essa importa muito. Viremos os olhos para ela.

Na verdade, são poucos os que sabem que a maior herdade do país está localizada no Ribatejo e é propriedade do Estado. Nela se cultiva arroz, vinho, azeite, milho, mas também se faz criação de bovinos e cavalos puro sangue lusitano. Foi através dos vinhos que ficámos a conhecer a realidade da Companhia das Lezírias, há cerca de um ano atrás. Desde essa altura que queríamos voltar a comprar uma garrafa, para a partilhar convosco… porque esta é uma herança que temos e devemos divulgar.

Voou assim este Tyto alba 2012 até um habitat semelhante, onde se instalou num dia de muito vento…

birdwatching-vinho-tyto-alba-2012-barcos-ria-paisagem-bebespontocomesbirdwatching-vinho-tyto-alba-2012-cais-paisagem-bebespontocomesbirdwatching-vinho-tyto-alba-2012-casa-cais-ria-bebespontocomesbirdwatching-vinho-tyto-alba-2012-caixa-design-bebespontocomesbirdwatching-vinho-tyto-alba-2012-wine-bebespontocomesbirdwatching-vinho-tyto-alba-2012-montagem-bebespontocomesbirdwatching-vinho-tyto-alba-2012-caixa-casa-passaros-bebespontocomesbirdwatching-vinho-tyto-alba-2012-caixa-bebespontocomesbirdwatching-vinho-tyto-alba-2012-casa-cais-wine-bebespontocomes

Focámo-nos na sua imagem, inspirada na intrigante e misteriosa coruja das torres (Tyto alba), que encontra refúgio nos habitats que a sustentável gestão agro-florestal da Companhia das Lezírias tem promovido. Exerce um papel fundamental na protecção do equilíbrio ecológico das vinhas, uma vez que se alimenta de micromamíferos, tornando-se uma boa aliada no equilíbrio da população dos coelhos e outros animais. Testemunha assim o compromisso com a conservação da biodiversidade.

No rótulo da garrafa saltam à vista os grandes olhos de uma coruja, mas o que destaca a imagem deste vinho é sem dúvida a sua embalagem… uma Caixa Ninho.

Um trabalho fantástico que já valeu a Rita Rivotti, a designer, alguns prémios. A caixa é de madeira reutilizável, com uma abertura frontal para que apareçam os olhos da coruja, e a ideia é instalar o ninho facilmente para dar abrigo a outras aves… Como não temos jardim, e depois da garrafa aberta, vamos talvez optar por a deixar para já na sala, o nosso ninho nobre, como decoração.

O responsável pelos vinhos é o enólogo Bernardo Cabral, que neste terroir de solos arenosos e sob influência do rio Tejo, pretende trabalhar em harmonia com o ambiente, tendo inclusive criado um novo selo para as suas marcas: o ABC 2020, que, traduzido, quer dizer “mais ambiente, mais biodiversidade e menos carbono“.

Este Tyto alba 2012 em específico, apresenta aromas a madeira, fruta preta e especiarias, com bastantes taninos, densidade e concentração para acompanhar pratos de carnes brancas e vermelhas.

Sobre a Companhia das Lezírias:  

A Companhia das Lezírias é a maior exploração agro-pecuária e florestal existente em Portugal, compreendendo a Lezíria de Vila Franca de Xira, a Charneca do Infantado, o Catapereiro e os Pauis (Magos, Belmonte e Lavouras). A Lezíria situa-se entre os rios Tejo e Sorraia e é dividida pela Recta do Cabo (E.N. 10 entre Vila Franca de Xira e Porto Alto) em Lezíria Norte e Lezíria Sul.

A Lezíria Norte é constituída por cerca de 1.300 hectares explorados indirectamente (rendeiros). Quanto à Lezíria Sul, ocupa perto de 5.000 hectares, dos quais cerca de 2600 estão arrendados e 2.200 são explorados directamente pela Companhia das Lezírias, sendo quase 1900h para pastagens e cerca de 320h de arroz. O arroz cultiva-se igualmente nos Pauis de Magos, Belmonte e Lavouras, sendo que no total, a área destinada ao cultivo de arroz em solo da Companhia das Lezírias ronda os 1500h. A Companhia explora ainda, uma média de 250h de milho, 140h de vinha e 70 de olival, e 3050h de prados permanentes biodiversos, na Charneca. A Companhia das Lezírias passou por várias transformações ao longo da sua existência, sendo nacionalizada em 1975 e tendo passado, em 1989, a Sociedade Anónima de capitais exclusivamente públicos. A partir de 2013, a Companhia das Lezírias passou a também a gerir a Coudelaria de Alter e a Coudelaria Nacional.

Embora não conhecendo, imaginamos que sejam belas as suas paisagens, com parte dos terrenos no coração da Reserva Natural do Estuário do Tejo. Motivo pelo qual são várias as actividades ligadas ao turismo de que dispõe a Companhia das Lezírias: birdwatching, turismo de natureza e equestre, alojamento, provas de vinho, etc.

Uma visita que está certamente na nossa agenda!

birdwatching-vinho-tyto-alba-2012-bebespontocomes

INFORMAÇÃO TÉCNICA:

Notas de Prova
Cor: vermelho retinto
Aroma: notas de madeira, cassis, ameixa, violetas e especiarias
Sabor: compacto, taninoso
Final de Prova: longo e seco

Castas
Touriga Nacional, Touriga Franca e Alicante Bouschet

Enólogo
Bernardo Cabral

Produtor
Companhia das Lezírias, S.A.

www.cl.pt

Preço: 8,50€

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *