Pico Wines
Bebes.Comes 29/03/2019

Ilha do Pico – Terroir Vulcânico / Arinto dos Açores

Branco Pico 2017
13% Vol.

Desde o início do blog que o nosso foco esteve sempre nos vinhos portugueses.
Conhecê-los e divulgá-los. É o que nos move.

E enquanto se criticam linhas editoriais assentes nas mesmas escolhas, na blogosfera criam-se novos conteúdos todos os dias, com base na procura de novas experiências pelos mais curiosos…

Foi o que nos levou até à Ilha do Pico, onde há muito mais para fazer do que subir à montanha mais alta de Portugal.

Fomos aprender as histórias das suas vinhas e do vinho, e sentir na pele essa brisa e mineralidade insular de que tanto se fala!

A Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico foi em 2004 classificada pela UNESCO como Património da Humanidade. No Lajido da Criação Velha, a beleza da natureza convive com a excelência do vinho aí produzido.

Vinhas plantadas em cima de pedra vulcânica e praticamente sobre mar…

…quilómetros de paisagem rendilhada pelas quadrículas imperfeitas dos chamados Currais, construídos à mão para proteger as uvas da fúria dos elementos da natureza, como a chuva constante e o rocio do mar.

O Moinho de vento do Frade serviu-nos de miradouro para uma paisagem deslumbrante… dos muros de pedra negra e chão de lajido, à Montanha do Pico, a norte, e à lIha do Faial e Ilhéus da Madalena, a oeste.

Mais um sonho vínico cumprido! E uma experiência vivida a dois…


Para além da paisagem…

A cultura dos vinhos nos Açores está em franca expansão.

Sobretudo pelos vinhos brancos, de uma originalidade única, pela sua acidez, mineralidade e salinidade, que despertam cada vez mais interesse nos apreciadores de vinho que procuram autenticidade e diversidade.

Fomos conhecer a..

Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico

Com origem em 1949, é o maior produtor de vinho dos Açores, juntando cerca de 240 membros associados (quase todos proprietários de pequeníssimas quantidades de terra) que cobrem 90% da área da Vinha do Lajido.

Muito longe dos projectos iniciais, para trás ficam alguns insucessos e até o famoso “vinho de cheiro”, sendo que hoje a aposta é cada vez mais na qualidade dos vinhos e na modernização da adega.

Em 2004, o reconhecimento da Paisagem Protegida da Cultura da Vinha e classificação pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade veio dar um novo ânimo aos viticultores, para a continuidade da produção das castas tradicionais da “Região Demarcada do Pico”.

E é na colheita de 2017, que a Cooperativa decide apresentar três monocastas de topo, um Arinto dos Açores, um Verdelho e um Terrantez, fermentados em balseiros de grande dimensão.

É esta a visão do enólogo Bernardo Cabral, imprimir qualidade e manter a tipicidade do terroir.

Entretanto, reposiciona-se a marca e preparam-se novos conceitos, como o caso dos licorosos que tivemos oportunidade de provar e que vão dar que falar!

Uma escolha entre os três monocastas seria impossível!

De qualquer forma, salientamos a frescura salina deste Arinto dos Açores, com um aroma cativante e uma boca a apresentar a boa acidez típica da casta.

Elegante e multifacetado, será a escolha certa para revisitarmos à mesa esta Ilha que tanto nos encantou.

INFORMAÇÃO TÉCNICA:

Notas de Prova
Cor: amarelo citrino
Aroma: notas minerais e limonadas
Sabor: bom volume e acidez
Final de Prova: fresco

Castas
Arinto dos Açores

Enologia
Bernardo Cabral

Produtor
Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico

Preço: 20,00€


Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico

Av. Padre Nunes da Rosa 29, 9950-302 Madalena, Pico – Açores – Portugal

www.picowines.net

COORDENADAS GPS: N 38° 31′ 52” W 28° 31′ 59.476”

Nota: A Cooperativa Vitivinícola é o maior produtor de vinho dos Açores, mas na Ilha do Pico existem outros (que não podíamos deixar de referir), como o Czar, o Curral Atlantis, e ainda a Azores Wine Company, que têm também sido importantes dinamizadores no que diz respeito à cultura do vinho nos Açores, com especial destaque para o papel do enólogo António Maçanita na introdução de novos conceitos, divulgação e conquista do público mais jovem das ilhas e continente.

Garrafa #5273/7308.

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *